Blog

Conheça as ODS e seus objetivos!

por Farol Incubadora

Postado em terça-feira, 15 maio, 2018



Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são uma agenda mundial adotada durante a Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável em setembro de 2015 composta por 17 objetivos e 169 metas a serem atingidos até 2030 para mudar o mundo.

Conheça a ODS número um: Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares

-Até 2030, erradicar a pobreza extrema para todas as pessoas em todos os lugares, atualmente medida como pessoas vivendo com menos de US$ 1,90 por dia

– Até 2030, reduzir pelo menos à metade a proporção de homens, mulheres e crianças, de todas as idades, que vivem na pobreza, em todas as suas dimensões, de acordo com as definições nacionais

– Implementar, em nível nacional, medidas e sistemas de proteção social adequados, para todos, incluindo pisos, e até 2030 atingir a cobertura substancial dos pobres e vulneráveis

– Até 2030, garantir que todos os homens e mulheres, particularmente os pobres e vulneráveis, tenham direitos iguais aos recursos econômicos, bem como o acesso a serviços básicos, propriedade e controle sobre a terra e outras formas de propriedade, herança, recursos naturais, novas tecnologias apropriadas e serviços financeiros, incluindo microfinanças

– Até 2030, construir a resiliência dos pobres e daqueles em situação de vulnerabilidade, e reduzir a exposição e vulnerabilidade destes a eventos extremos relacionados com o clima e outros choques e desastres econômicos, sociais e ambientais

-Garantir uma mobilização significativa de recursos a partir de uma variedade de fontes, inclusive por meio do reforço da cooperação para o desenvolvimento, para proporcionar meios adequados e previsíveis para que os países em desenvolvimento, em particular os países menos desenvolvidos, implementem programas e políticas para acabar com a pobreza em todas as suas dimensões

– Criar marcos políticos sólidos em níveis nacional, regional e internacional, com base em estratégias de desenvolvimento a favor dos pobres e sensíveis a gênero, para apoiar investimentos acelerados nas ações de erradicação da pobreza


Farol Incubadora realizará quarta cápsula de conhecimento do Submarino

por Farol Incubadora

Postado em segunda-feira, 14 maio, 2018



A quarta rodada do Submarino já tem data marcada. No dia 19 de maio, na sala invertida do bloco Alpha (202), mais uma cápsula de conhecimento será realizada com o objetivo de sensibilizar e qualificar empreendedores

O programa já recebeu os empreendedores Hemerson Ramos, CEO das empresas Thandera e noGlobo.co, Débora Silveira e Neto Mendes, CEOs da Me Petisque e Andressa Arielly, CEO da empresa O Bem Consultoria. O Submarino nasceu para atender uma série de demandas da Farol Incubadora em relação à sensibilização e prospecção dos empresários, bem como à qualificação de potenciais empreendedores. Os principais objetivos do programa são a identificação de bons negócios, bem como o auxílio na modelagem destes para gerar maior engajamento dos projetos que ingressarão na Farol Incubadora e no oCEANo e o fortalecimento da TTEIA (Trilha de Tecnologia, Empreendedorismo e  Inovação Aplicados do Unipam).

A participação no Submarino é aberta à comunidade e vale horas de extensão para os alunos do Centro Universitário de Patos de Minas – Unipam. As inscrições são realizadas através do portal Unieventos. Não deixe de participar dessa oportunidade  de aprendizado! Venha navegar conosco em mais uma expedição ao conhecimento!


As cinco lições de estratégia de La Casa de Papel

por Farol Incubadora

Postado em sexta-feira, 27 abril, 2018



A nova série da Netflix tem muito a nos ensinar sobre estratégia e vale a pena entender esses aspectos
1 – Planejamento
Para fazer algo bem feito, a partir do momento que você planeja com antecedência todas as etapas, as chances de dar certo aumentam bastante. É você ter um objetivo e traçar os passos para que realmente consiga alcançá-lo. Na série, todos ali sabiam exatamente o que era para ser feito e quando ser feito.
2 – Antecipação
No próprio planejamento, a partir do momento que você estuda todas as variáveis, ou seja, desenvolve fluxos sobre acontecimentos, você antecipa problemas ou soluciona situações. É o fato de que a ação A pode gerar a consequência B, C ou até D. Saber o que irá fazer em qualquer uma dessas consequências, resulta em uma melhorar formatação. No caso da série, os assaltantes estão sempre um passo a frente da polícia. Mesmo com alguns imprevisto que acontecem durante o roubo, de certa forma, eles estudaram várias situações do que a polícia faria. E estavam preparados para elas (pelo menos até o momento que assisti a série).
3 – Ter uma equipe complementar
Quando você une pessoas de características talentos complementares, você tem uma capacitação maior para realizar um trabalho bem feito. No meio das startups, por exemplo, sempre indicamos que busque sócios que complementem suas habilidades e não que façam exatamente o que você já faz. Na série, Cada integrante da equipe possui funções bem específicas dentro do roubo e isso faz muita diferença. A equipe foi montada e escolhida pelo “professor”, para que tudo acontecesse da melhor forma possível. Naturalmente, quando falamos de pessoas, existem algumas peças que acabam não trazendo tanto resultado quanto esperado e isso é um dos pontos de emoção na “La Casa de Papel”.
4 – Conheça bem seus inimigos (seus concorrentes)
Uma frase marcante de Sun Tzu: “Conheça o seu inimigo como a si mesmo e não precisa temer o resultado de cem batalhas”. Essa é uma premissa importante até no mundos de negócios. Se você conhece seus concorrentes, saberá o que eles fazem e saberá como se diferenciar deles para o seu público. Na série, o professor conhece muito bem todos os funcionários do banco, assim como busca aproximação com a polícia, a pessoa com quem está negociando, enfim, ele entende o que se passa na cabeça deles e consegue planejar seus próximos passos e falas.
5 – Essa é com você
Você assistiu a série e viu alguma lição de estratégia? Então compartilha nos comentários o que você achou. Será muito interessante ver a sua análise também.


Farol Incubadora realizará terceira cápsula de conhecimento do Submarino

por Farol Incubadora

Postado em segunda-feira, 23 abril, 2018



A terceira rodada do Submarino já tem data marcada. Neste dia 28, no oCEANo, mais uma cápsula de conhecimento será realizada com o objetivo de sensibilizar e qualificar empreendedores.

O programa já recebeu os empreendedores Hemerson Ramos, CEO das empresas Thandera e noGlobo.com e Débora Silveira e Neto Mendes, CEOs da Me Petisque. O Submarino nasceu para atender uma série de demandas da Farol Incubadora em relação à sensibilização e prospecção dos empresários, bem como à qualificação de potenciais empreendedores. Os principais objetivos do programa são a identificação de bons negócios, bem como o auxílio na modelagem destes para gerar maior engajamento dos projetos que ingressarão na Farol Incubadora e no oCEANo e o fortalecimento da TTEIA (Trilha de Tecnologia, Empreendedorismo e  Inovação Aplicados do Unipam).

A participação no Submarino é aberta à comunidade e vale horas de extensão para os alunos do Centro Universitário de Patos de Minas – Unipam. As inscrições são realizadas através do portal Unieventos. Não deixe de participar dessa oportunidade  de aprendizado! Venha navegar  em mais uma expedição ao conhecimento!


5 fatos sobre ser mulher ao longo da História

por Farol Incubadora

Postado em sexta-feira, 6 abril, 2018



Ser mulher no século XXI não é uma tarefa fácil. Ainda somos alvos de desigualdade, perseguição e exclusão. Felizmente, ao longo dos anos conseguimos adquirir muitos direitos, o que nos tornou mais forte. Porém, ao analisar a história, vemos o quanto o sexo feminino tem sofrido maus tratos. Mesmo depois de tantos anos, ainda é possível se surpreender com fatos da história sobre estar realmente na pele de uma mulher.

Desde o princípio a sociedade foi governada por homens e as mulheres ficavam em segundo plano, cuidando da casa ou de tarefas mais frágeis. Não poder votar e não ganhar o mesmo salário dos homens eram só algumas das desigualdades sofridas anteriormente. A vida das mulheres era como um verdadeiro filme de terror.

Por isso, no mês da Mulher, trouxemos algumas das horríveis realidades que elas foram obrigadas a passar ao longo dos tempos:

1– Meninas recém-nascidas eram deixadas para morrer

Em Atenas, era comum casais que deixavam suas filhas recém-nascidas morrerem em áreas selvagens, um ato chamado de ‘exposição’ do bebê. “Todo mundo cria um filho, mesmo que ele seja pobre”, declarou um escritor grego, “mas expõe uma filha, mesmo que ela seja rica.”

A prática era mais comum em Roma, nas famílias mais pobres. Foram encontrados registros de escritas que diziam que “as mulheres da época diziam que as meninas eram muito trabalhosas e, portanto, não tinham como bancá-las” e que “se você tiver uma garota, vamos ter que matá-la.”

Os pobres no Egito deixavam suas crianças morrerem sem a menor culpa. Quando viajavam deixavam registrado nas cartas um recado. “Se for menino deixe-o viver, mas se for menina mate-a.”

2 – Homens não tocavam mulheres menstruadas

Dá para acreditar? Os homens simplesmente não suportavam tocar em suas mulheres em seu período menstrual. Acreditavam que as mulheres menstruadas podiam matar imediatamente tudo o que elas vissem. Um filósofo romano escreveu: “A mulher em tal estado produz leite azedo.”

As mulheres passavam seus ciclos menstruais isoladas em um edifício especial onde os homens não podiam entrar. Os israelitas também não tocavam as mulheres durante o período, e acreditavam que tudo que elas tocassem nesse período ficaria imundo.

3 – Perder a virgindade era uma sentença de morte

Se um pai em Atenas descobrisse que sua filha solteira já não era mais virgem, ele podia vendê-la legalmente na escravidão. Os samoanos deviam ter certeza que suas mulheres eram virgens. Durante um casamento, o chefe da tribo deveria romper o hímen da noiva manualmente na frente de toda a multidão.

Uma mulher já foi enterrada viva em Roma pelo simples fato de ter perdido sua virgindade antes dos 30. Em Israel, qualquer mulher que tivesse perdido a virgindade antes do casamento poderia ser apedrejada até a morte.

4 – Mulheres eram forçadas a matarem seus bebês

Em quase todos os países, quando as mulheres davam a luz à uma criança deformada (deficiente) ele era obrigada a matá-la. A mãe tinha duas opções, sufocar a criança ou abandoná-la.

Na margem de Israel, os arqueólogos encontraram os restos de dez bebês mortos nos esgotos da cidade. Um em cada quatro bebês romanos não conseguiu o primeiro ano de vida.

5 – Mulheres eram mortas com seus maridos

Até o século 19, uma mulher na Índia que perdesse o seu marido deveria escavar sua própria sepultura e se queimar até morrer junto do corpo do marido. Nas guerras as mulheres costumavam se matar antes mesmo de seus maridos voltarem.

Os maridos assistiam suas famílias se queimarem e no dia seguinte se manchavam das cinzas o que era considerado ato de motivação para enfrentar a guerra.

 

Hoje as mulheres conquistaram muito em todos os espaços da sociedade, mas não podemos nos esquecer de todas as humilhações passadas e presentes que muitas ainda sofrem. Mas que nossa força e determinação nunca falhe e que um dia possamos viver tranquilas em um mundo de liberdades iguais.


Farol Incubadora é mencionada no E-book BloomBTech

por Farol Incubadora

Postado em segunda-feira, 19 fevereiro, 2018



O Bloom Business Technology (BloomBTech) é um Programa de Desenvolvimento Estratégico de Empresas Incubadas em Minas Gerais. Ele foi promovido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Rede Mineira de Inovação (RMI) e Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes). Além disso, o programa é executado pela Wylinka – organização sem fins lucrativos que promove o desenvolvimento de ecossistemas de inovação – e tem como propósito o direcionamento estratégico das empresas incubadas do Estado.

São diversas ideias inovadoras para o mercado. Um sistema de irrigação que monitora em tempo real as condições da plantação, uma plataforma online que une pessoas que querem aprender e ensinar determinada temática, um sistema que fideliza clientes de bares e restaurantes. Esses são exemplos de soluções inovadoras desenvolvidas por mais de 110 empresas mineiras de tecnologia.

O objetivo do programa é fortalecer o posicionamento estratégico das empresas incubadas por meio da análise interna das suas competências técnicas e de gestão, contribuindo na identificação dos potenciais de mercado. Durante sete meses todas as incubadoras foram analisadas, somando-se 600 reuniões, mais de 250 pessoas capacitadas em 440 horas de workshop em 13 cidades mineiras. “Ter o acompanhamento do que está acontecendo nas incubadoras de Minas Gerais é muito importante para o Estado. Precisamos de informação para trabalhar junto”, destacou o subsecretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Leonardo Dias.

Contribuindo para o resultado da ação, foi desenvolvido um e-book que apresenta os diagnósticos levantados, a metodologia usada, além dos cases das empresas participantes. “O trabalho da Sectes é potencializar as empresas de tecnologia. É com informação que vamos prosperar a economia e seguir rumo ao sucesso. Essa nova ferramenta irá, sem dúvidas, contribuir para isso”, destacou ainda o subsecretário.

Os resultados atingidos pelo programa irão contribuir para o crescimento das incubadas, fortalecendo a visão estratégica, priorizando iniciativas que são mais decisivas para os negócios. O investimento que a Sectes realiza em startups e incubadoras facilita o ecossistema inovador e empreendedor mineiro.

Fonte: SIMI – Sistema Mineiro de Inovação

Download do E-book: Ebook-BloomBTech.pdf (81 downloads)


Farol Incubadora realiza palestra no Senac

por Farol Incubadora

Postado em sexta-feira, 9 fevereiro, 2018



A gerente da Farol Incubadora e Gestora de Território de Inovação, Lílian de Cássia Oliveira, realizou ontem uma palestra para os alunos do curso técnico em Administração do Senac de Patos de Minas.

O tema abordado foi o “Empreendedorismo e o papel da Farol Incubadora de Empresas”, com a intenção de sensibilizar os alunos sobre a importância da inovação, qualificar potenciais empreendedores e para que tenham conhecimento sobre o suporte profissional que uma incubadora exerce no desenvolvimento de uma empresa.

Para Lílian de Cássia, dentro da perspectiva de trabalho da Farol Incubadora, é muito importante sensibilizar alunos de demais instituições para que eles possam transformar empresas em que trabalham através da nova visão de inovação de negócio que recebem por meio da palestra. “É imprescindível dar oportunidade a toda a comunidade empreendedora participar do processo de incubação, pois nosso trabalho visa também, a redução do índice de mortalidade de empresas”, ela destaca.

Se você também deseja uma palestra da Farol Incubadora, entre em contato pelo número (34) 3814-2744 e agende um horário! Será um prazer compartilhar o nosso conhecimento!

 

Jordana da Mata


Os heróis e vilões da Caverna do Dragão dão lições da administração

por Farol Incubadora

Postado em sexta-feira, 2 fevereiro, 2018



Veja como um clássico dos quadrinhos pode ajudá-lo no cenário da administração e dos negócios:

A série de desenho animado Caverna do Dragão é um grande clássico de aventura, fantasia e criatividade. A trama se desenvolve contando a história de seis jovens que estavam em um parque de diversões e que após embarcarem em uma montanha russa foram transportados para um Reino totalmente desconhecido onde vislumbraram muitos perigos e missões. Na verdade, o brinquedo nada mais era do que um misterioso portal que levou os jovens para uma outra dimensão, em uma ação mágica e estranhamente inexplicável.

Nesse novo e incrível mundo, eles receberam armas poderosas e trajes específicos de um ancião indiscutivelmente carismático e sábio chamado Mestre dos Magos, que os doutrinou com lições de virtude, moral, valentia, caridade e nobreza. Assim, depois de ficarem sem rumo no início e chocados com o viram e ouviram, o grupo decidiu confiar no mestre que prometeu ajuda-los a voltar para casa. Logo no início da trama eles conheceram o grande vilão do Reino: o Vingador, que buscava de todas as formas derrota-los e apanhar suas armas. O algoz era um mago extremamente poderoso, tomado pelas trevas e que voava em um cavalo negro. Possuindo um aspecto mal e sombrio ele passou a duelar com os jovens buscando aumentar o seu poder para derrotar seus dois principais adversários: o Mestre dos Magos e Tiamat, um dragão absolutamente atemorizador e invencível.

Então, essa era a grande chave da esplêndida história: havia um Reino cheio de monstros, desafios e descobertas e para voltarem para o seu mundo original, o grupo de jovens deveria lutar com coragem, honra e esperança, tendo como líder aquele que parecia ser a criatura mais íntegra e sapiente do Reino: o Mestre dos Magos.

Portanto, veja 3 lições da administração que se pode aprender com os heróis e vilões da Caverna do Dragão:

1:  Mestre dos Magos: atua como grande líder do grupo que possui Hank, Bobby, Diana, Sheila, Eric e Presto como participantes e é o único responsável por indicar os trajetos que levam os jovens a encontrarem o sonhado caminho de casa. Tem grande inteligência e sabedoria, influenciando seus discípulos a escolherem o caminho da bondade, da justiça e da honra sob todos os aspectos e missões. Existe para enfrentar e impedir que as forças malignas façam mal ao Reino, buscando sempre combater aqueles que existem para disseminar a impiedade e a desordem. Normalmente, não gosta de agir dando respostas prontas para seus pupilos, mas prefere fazê-los pensar e decidir com os próprios corações. Possui incríveis poderes mágicos e grande domínio sobre vários elementos e criaturas do território.

2: Hank: o líder do bando possui um temperamento forte e um equilíbrio emocional quase perfeito. Dono de um intenso arco que disfere poderosas flechas de energia, o guarda possui a missão não só de comandar os pupilos do Mestre dos Magos, mas também de centralizar as decisões para que a trupe tenha organização, planejamento e foco. Mesmo sendo jovem, Hank é notavelmente o personagem mais inteligente do grupo, contando com o reconhecimento de todos, inclusive de seus ferrenhos algozes.

3: Uni: a sensível e doce Uni dá um toque mais que especial ao grupo, pois é vital exemplo de companheirismo, franqueza, meiguice e integridade. A pequenina filhote de unicórnio está sempre disposta a encarar os perigos do Reino para estar ao lado do grupo que tanto ama e não raramente contribuir com gestos e balidos bem peculiares. Seu amor e veneração por Bobby é sublime. É algo que se embriaga da mais enobrecida pureza e da mais magnífica e áurea santificação.

Aprenda com Uni: nunca deixe que os processos mercadológicos sejam mais importantes que as pessoas. Valorize o capital intelectual, a criatividade, a inovação, a vivência e a experiência do seu plantel, pois as máquinas e procedimentos podem facilmente ser copiados, mas a grande sabedoria humana não.


J.K. Rowling: conheça a história de superação da autora que vendeu mais de 500 milhões de livros

por Farol Incubadora

Postado em terça-feira, 23 janeiro, 2018



Joanne conta que a ideia de Harry Potter surgiu em 1990 em uma viagem de trem de Manchester à Londres (cuja estação de destino era King’s Cross!). O detalhe era que a autora não tinha nenhum papel em mãos e precisou pensar sobre a ideia a viagem inteira, até chegar em Londres e conseguir escrever tudo.

A autora envio seu original para diversas editoras e conta que recebeu diversos “nãos”. De fato, um dos mais grossos incluiu a não devolução da pasta que tinha sido enviada sob o pretexto de que ela não cabia em sua vida.

Depois de tantas negativas, Joanne conseguiu finalmente uma resposta da Bloomsbury, uma pequena editora inglesa. O agente literário da editora queria ler o restante do texto. Segundo ela, foi a melhor carta que já recebeu na vida!

A autora precisou adicionar o “K” no nome por sugestão de Cunningham, que disse que seria difícil que os leitores comprassem um livro tão obviamente escrito por uma mulher.

Finalmente, em 1997, Harry Potter e a Pedra Filosofal foi publicado. A autora precisou adicionar o “K” no nome por sugestão de seu editor. Por isso, em vez de “Joanne Rowling”, as capas foram creditadas a “J.K. Rowling”. O “K” é de Kathleen, que veio do nome de sua avó paterna.

O livro que os editores acharam que não chegaria a ser um sucesso vendeu, no mundo todo, mais de 120 milhões de cópias.

De fato, a saga de Harry Potter foi um sucesso de vendas, com mais de 500 milhões de cópias em mais de 50 línguas. Todos os livros da saga estão na lista dos 100 best sellers mundiais. Os livros foram transformados em 8 filmes que são recordes de bilheteria no mundo todo.

Segundo a Forbes, a fortuna da autora é estimada atualmente em 650 milhões de dólares. O valor poderia ser mais alto ainda se Joanne não se dedicasse a doar milhões para causas sociais todos os anos (estima-se que ela tenha doado cerca de 150 milhões de dólares ao longo dos anos).

Portanto, a autora se destaca como uma das mulheres mais influentes do mundo!


Farol Incubadora realiza evento de graduação

por Farol Incubadora

Postado em terça-feira, 2 janeiro, 2018



A Farol Incubadora de Empresas realizou ontem (20) seu Evento de Graduação de Empresas no Live Lounge Bar. Três empresas foram graduadas: http://www.viagrabelgiquefr.com/ UX Soluções em TI, Preservar e Aspiral.

Para Lílian de Cássia Oliveira, Gerente da Farol Incubadora e Gestora de Território de Inovação, o Evento de Graduação é um marco muito importante para a incubadora e empresas, pois o processo de incubação é lento, árduo e penoso tanto para a incubadora quanto para a empresa, devido as inúmeras atividades e horas de dedicação por ambas as partes. “No entanto, nos sentimos vitoriosos, pois o principal indicador que uma incubadora de empresas tem, é uma empresa graduada, que está bem no mercado e que tem sucesso. Então ela é o nosso cartão de visita, pois se ela se graduou e esta bem, significa que o trabalho foi bem feito”, ela destaca.

A graduação de uma empresa incubada acontece quando ela atinge um grau de maturidade satisfatório através do desenvolvimento dos eixos gestão, empreendedor, capital, tecnologia e mercado. “Concluímos nesse momento, que as empresas estão muito bem preparadas, em nível de competitividade igual e ate superior dos concorrentes, portanto vejo um futuro promissor para essas empresas, que estão crescendo em nível de empregabilidade e faturamento, o que contribui diretamente pra economia global e regional,  fortalecendo nosso ecossistema de inovação”, Lílian finaliza.

Tendo em vista que elas já estão muito bem reconhecidas no mercado onde elas atuam tanto por parte dos clientes e dos concorrentes que os respeitam muito, isso é de suma importância pq significa que eles conquistaram seu lugar no mercado de trabalho,  e são empresas

Para Lílian de Cássia Oliveira, Gerente da Farol Incubadora e Gestora de Território de Inovação, este evento é de suma importância, pois sinaliza para a Farol e para o mercado, o desenvolvimento da empresa que entrou para o programa de incubação. “Cada negócio entra para a incubadora em um nível de maturidade diferente e trabalhamos não só o desenvolvimento da empresa, mas também do empreendedor. Então através do acompanhamento e desenvolvimento dos eixos, nós conseguimos claramente ver a evolução conjunta das práticas de desenvolvimento do negócio e do empreendedor. A graduação é o momento de consagração da empresa, onde a incubadora reconhece seu nível de maturidade e considerando-a apta em nível de competitividade com seus concorrentes, sem riscos consideráveis que venham inseri-la nas estatísticas de mortalidade empresarial”, ela destaca.

Convidamos toda a comunidade para presenciar este momento ímpar na vida dos empreendedores, que vêm contribuindo para o desenvolvimento local, gerando novos empregos, recolhendo tributos e fortalecendo a economia de nossa cidade.  Inscreva-se pelo link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScJqLou0svw-pf-byyZlyh4ajIoORtURn5YXrFlNfRfPjyusQ/viewform